terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Infância gasta

Conheci uma menina que tenta agir como mulher.
E mesmo que a vida a trate como moça crescida ela logo trata de agir como guria.
Sei que nada ela quer, mas ela sabe que quer.
E briga, e bate, e morde e vai me arrastando em um buraco da areia sem fundo.
Brincadeira de criança não é algo inocente.
Se me roda, se me beija e se me arrepia,
acaba largando o brinquedo de mão porque ele já mais não lhe perecia.
O menina, o menina..
queira saber quem tu és para enfim me puxar para o seu gira-gira.
Ou torna-se mulher para que enfim possamos usar nossas fantasias.

3 comentários:

  1. Diante de uma moça crescida percebe-se suas atitudes de guria mostrando risos e sorrisos para alegrar a mulher que tanto esconde sua menina.
    Convido-te a brincar, aceitas?
    No jogo de quebra-cabeça onde as peças são tortas certas posições causam tal falsa plenitude, assim como muitas não lhe permitem voltar os passos, porém em outras posições lhe é permitido jogar e encaixar as peças.
    Lhe prometo lado a lado estar a cada curva e altitude, cada grito, sorriso, choro e gozo nessa montanha russa.
    Mas isso por sua audácia em colocar-me a girar no seu pião sem soltar a corda.
    E por esse fio segura, sustenta e alimenta a cada dia esse incessável bem querer-te e bem amar-te.
    Se brincar de pique-esconde, brinco de pega-pega, pego-te no colo e brincamos de brindar o amar.

    ResponderExcluir
  2. As meninas se escondem nas moças...
    (vc. tem facebook? o meu é https://www.facebook.com/jsartorelli )

    ResponderExcluir